Roberto

EL NIÑO DÁ TRÉGUA NO SUL

  A chuvarada invade as casas VALE DO TAQUARI Depois de um mês levando o pavor ao Vale do Taquari no Rio Grande do Sul, as coisas parecem estar voltando à normalidade, pelo menos parece. Nunca dá para dizer que já passou enquanto o fenômeno El Niño rondar  o Sul do Brasil, e pior, o fenômeno vai continuar a fraquentar o Estado durante o verão. O governo gaúcho iniciou a construção das primeiras casas temporárias para as famílias que se encontram em abrigos. As moradias serão totalmente mobiliadas para dar o máximo de conforto para os desabrigados enquanto aguardam para retornar às suas residências, destruídas pelas águas furiosas. As construções estão se iniciando pelas cidades de Arroio do Meio e Estrela, os terrenos são de propriedade das prefeituras no caso dos dois municípios citados, Segundo o governo do Estado “A construção das demais cidades atingidas terão início após definição da demanda e das áreas que receberão as casas”. Vale ressaltar neste triste episódio a solidariedade do povo gaúcho, a demanda de doações foi tanta que a Defesa Civil e os órgãos estaduais tiveram que pedir para que cessassem  os donativos, pelo menos em um primeiro momento. O Vale do Taquari abrange 40 municípios com uma população de quase 350.000 habitantes com a predominância das origens alemã e italiana. Até agora foram 50 mortos, mais de 5.000 desabrigados e mais de 22.000 desalojados. EL NIÑO  O fenômeno El Niño, um convidado indesejado para este verão no Rio Grande do Sul, não é nenhuma novidade, volta e meia aparece, faz seus estragos, e vai embora. Trata-se de de um aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico na altura do Equador, sim, por incrível que pareça é lá que esse enfant terrible nasce. Nos anos de 2018 e 2019 o indesejado convidado andou por  estas bandas, mas sem maiores prejuízos, já em 2023 foi o que se viu. O máximo que se pode fazer é tomar providências para a prevenção através do monitoramento permanente do clima, entre outras para quem planta reduzir os possíveis prejuízos. No Norte e Nordeste do Brasil as chuvas deverão ser mais escassas e no Sul mais agressivas, tudo por conta do El Niño. Tomara que depois disso vá embora e não lembre de voltar tão cedo, e, quem sabe, quando vier, já seja um velhinho bem fraquinho, que sopre suas águas, mas não com tanta violência , que não seja nada parecido com a tragédia  deste ano.     Visualizações: 39

Leia Mais »
Roberto

A “TORRE PISA” DO IMBÉ

    O incrível poste inclinado que saúda quem chega ao Imbè, no litoral norte gaúcho. Sem o glamour e fama da prima italiana, é uma espécie de perigoso cartão postal, que está lá, ninguém mexe, ninguém se preocupa, ninguém nada… entenda-se “ninguém” como um carinhoso apelido para a prefeitura da cidade.  A tempestade da semana passada que assustou os moradores da região, inclusive causando estragos importantes, nem ela motivou alguma providência; estamos no Brasil, enquanto o píor não acontecer ninguém se mexe.   E está bem à vista de todos logo na saída da ponte Tramandaí /Imbé. Mas não é só este poste que conta esta história não, tem outros, tando na referida praia como na “irmã” Tramandaí. Mas este, convenhamos, é uma espécie de “cartão postal” logo na chegada. Vamos ver quanto tempo ele aguenta, quantas ventanias ele suporta, e quando o pior acontecer, que ninguém esteja passando por ali de carro, ônibus ou a pé. Tomara… Mais um ângulo do “inclinadão” do Imbé Visto mais de cima Visualizações: 23

Leia Mais »
New York 50 graus!
Roberto

NEW YORK 50 GRAUS!

Dá pra fritar ovo na calçada Dá pra fritar um ovo nas calçadas da Big Apple, literalmente. Pois se faz 40 graus em média o calor que estagna o ar no metrópole, no asfalto foi constatado ferventes 60 graus. São 8 graus a mais na média para esta época do ano. E a criatividade não podia faltar em se tratando de Nova York, mesmo nessas condições tão extremas, pois os bombeiros transformaram hidrantes em chafarizes para refrescar a galera que tem coragem de perambular pelas “streets” e “avenues” da grande maçã. O prefeito pede encarecidamente que a população diminua o consumo de energia das 14h ás 22h. Vamos lá… somando os 40 com os 60 do asfalto a média dá uns 50 graus. Brincadeira? Visualizações: 40

Leia Mais »